O Nascimento da Libertá

18 de Abril de 2019 às 20:06 recebo uma mensagem da Anna: “Agora vem e acho que vai ser rápido”.

Às 22:10 a Libertá nasceu na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, em Curitiba. Mas ainda deu tempo de chegar na casa da família Perdonssini Fontana para começar a contar mais essa história. Um nascimento repleto de amor e respeito. O resultado está logo abaixo em vídeo e fotos. Assista com o coração e se quiser ler um pouco mais… vem “textão” dessa história por aqui.

Conheci a Anna num desses acasos que a vida nos presenteia. Ela estava grávida da Aurora e nos “conhecemos” num grupo de parto humanizado do Facebook. Desde então foram várias histórias… o parto da Aurora, o batizado, o primeiro aninho dela e agora veio a Libertá. A Anna estava ansiosa pelo parto da Libertá, acho que ela só não esperava um parto tão “rápido”. Quando cheguei no casa da família posso dizer que o trabalho de parto já estava bem “avançado” e logo fomos para a maternidade. Banho quente, quarto escurinho, muito carinho da equipe e do Matheus, música de fundo… primeiro “O Mundo é Bão Sebastião”, mas essa não agradou e a música escolhida então foi “Anunciação”.


E agora faço um parênteses aqui nesta história, para contar um pouco da minha. Sempre que ouço essa música lembro de um trabalho na faculdade de Publicidade e Propaganda. A disciplina era “Fotografia” e naquela época eu nem imaginava ser fotógrafa. O tema do trabalho de conclusão foi escolher uma música e contar uma história por meio de 3 ou 5 fotos. Planejar, captar, revelar o filme e papel: processo completo da fotografia analógica. E “Anunciação” foi a música que escolhi. Esse foi o meu primeiro contato da fotografia com o coração. Pena que não tenho mais as fotos para mostrar aqui, mas lembro com muito carinho de todas elas… A faculdade acabou, acabei trilhando a carreira para o lado mais corporativo. Foram 12 anos trabalhando em grandes empresas, com treinamento corporativo, educação a distância, marketing e vendas. Ficou tudo pesado demais, sério demais, chato demais e significado de menos. Então sempre que ouço essa música passa um filme na minha cabeça… E hoje nessa retrospectiva, penso que estou no lugar certo, na hora certa (parece clichê isso), mas ao som de “Anunciação – Tu vens”  fotografando o nascimento da Libertá, eu tive a certeza de estar no lugar certo. A fotografia sempre esteve presente na minha vida, mas há 2 anos e meio se tornou minha profissão full time (sim, eu ainda uso alguns jargões corporativos como esse aí rsrsrsrs). Mas essa é minha essência, só que agora muito mais leve, menos automática, com mais vida, propósito e sentimento. A fotografia hoje me permite conhecer pessoas incríveis, vivenciar e contar histórias mais incríveis ainda, criar legados para as famílias. 

É a bruma leve da paixão que vem de dentro… 


Daqui alguns anos, a Anna e o Matheus poderão mostrar para Libertá o quanto seu parto foi humano, respeitoso e poderão reviver com ela, por meio das fotografias, a felicidade e amor com que foi recebida pelos seus pais e acolhida pela equipe médica escolhida a dedo. Eu fui a pessoa escolhida para criar essas memórias para a Libertá e isso me enche os olhos e o coração. Nascimento respeitoso faz o mundo um lugar melhor. Retratar  momentos assim me faz uma pessoa melhor. Parto é renascimento! De uma mulher, mãe, casal, família… E também de uma fotógrafa!

Esse documental de parto continuou na saída da maternidade e a chegada da Libertá em casa sendo recebida com muito amor pela irmã Aurora. Ninguém pediu para a Aurora dar um beijinho na irmãzinha… foi instinto, foi natural. Eu só estava lá registrando essas primeiras trocas de carinho. São esses presentes que a fotografia de família me permite. A Aurora “adotou” a irmãzinha como “seu bebê” e esse capítulo na história da Libertá só está começando… Bem-vinda a este mundão!

Equipe: Dra Midiã Bandeira (obstetra), Carolina Poliquesi e Fábio Oliveira (enfermeiros obstétricos) e Bianca Cavichiollo (pediatra).

COMPARTILHE